Paulo Borrachinha UFC 224
Paulo Borrachinha diz que é normal ser visado pelos adversários, pois está em momento de ascensão no UFC – Foto: Thiago Duval

Paulo Borrachinha ironiza provocações de Cezar Mutante

Nos últimos tempos Paulo Borrachinha e Cezar Mutante tem protagonizando uma nova rivalidade no MMA brasileiro e os dois tem trocado farpas. Mas para Borrachinha os dois lutadores nao estão no mesmo nível, por isso não acredita em rivalidade com o campeão da primeira edição do TUF Brasil.

Em conversa com jornalistas no UFC 224, Paulo Borrachinha ironizou as declarações de Cezar Mutante e rebateu as provocações do campeão da primeira edição do TUF Brasil.

“Para mim, não tem rivalidade contra ele. Acho que tem rivalidade contra quem está no mesmo nível. Ele está patinando ainda. Tem que se firmar ainda na organização, mostrar que merece estar aqui mesmo, que pode estar entre os melhores. Tem tanto tempo que ele está na organização e nem ranqueado ele está. Acho que é uma tentativa desesperada dele de tentar aparecer na mídia. Rivalidade eu tenho com quem está ranqueado, com quem está brigando pelo título, como eu estou, quem está mostrando bons resultados como eu tenho mostrado. Ele para mim não é rival, ele está bem abaixo”, ironizou Paulo Borrachinha que também disse que é normal ser alvo de ataques, já que tem se destacado no UFC.

“Quando você começa a aparecer, você começa a ser atacado. É como diz o ditado: “ninguém joga pedra em árvore que não tem frutos”, só se joga pedra em quem está chegando, quem está aparecendo. É normal, vai acontecer com vários outros”, disse.

Além da resposta as provocações de Cezar Mutante, Paulo Borrachinha também falou sobre o combate contra Uriah Hall e como está a preparação.

“Estou bem e vou começar a preparação forte, sem pausas para a próxima luta”, disse Borrachinha que também falou o que espera do jogo de Uriah Hall marcado para o UFC 226 e acredita em nocaute sobre o jamaicano.

“Acho que ele vai querer fazer o jogo dele, mas acho que ele não vai vir para cima com tudo, vai ficar cadenciando, tentando o chute rodado ou alguma coisa desse tipo, acho que vai ser mais ou menos isso. Acho que o Hall não vai conseguir impor o jogo dele, vai ficar acuado, com medo e aí quando eu começar uma sequência de golpes, botar uma mão ou outra e ele sentir o peso, acho que ele vai começar a andar para trás e acho que essa luta vai terminar por nocaute também. Se for para o chão então nem se fala, eu sei que tenho um chão muito melhor do que o dele”, disse.

O duelo contra Uriah Hall era para ter acontecido no UFC Fight Night 128, que foi realizado no dia 21 de abril em Atlantic City (EUA), mas Paulo Borrachinha havia sofrido uma contusão no bíceps esquerdo durante os treinos em Belo Horizonte e foi obrigado a sair do card. O brasileiro já está recuperado e explicou como foi a contusão.

“Eu tive uma ruptura parcial do tendão do bíceps. Começou com uma lesão pequena e quando ficou insuportável, eu fui fazer o exame e já estava em quase 40%. Foi bom que descobri a tempo e não precisou de intervenção cirúrgica, só fisioterapia durante seis semanas. Estou no trabalho de fortalecimento e segunda já volto a treinar. A dor começou a ficar insuportável a sete semanas atrás, faltavam trinta dias pra luta. Eu não poderia cometer essa irresponsabilidade de ir pra luta machucado”, explicou.

Categorias
MMA

Relacionados