O Anderson Silva que eu vi…

Há alguns anos atrás quando Anderson Silva perdeu para Chris Weidman, fiz uma matéria falando sobre a soberba que eu percebia na forma de nosso campeão se portar no octógono.

Apesar de entender seu estilo provocativo, que tinha a função estratégica de desestabilizar o adversário, para pegá-lo em um jogo de contragolpes muito bem encaixados.

Ao olhar hoje seu combate contra Derek Brunson confesso que fiquei emocionado ao ver um ex-campeão, referência que se perpetuará por muitos anos, fazer uso do mesmo estilo provocativo para usar o mesmo jogo de contragolpes, mas de forma inteligente, no limite do risco, mas sem a arrogância que antes percebi na luta do passado.

Muitos dirão que não é o mesmo Anderson e que não conseguirão perceber o mesmo show de outrora, e creio que devido a idade que começa a pesar realmente não tenhamos mais a possibilidade de ver o antigo Spider, mas pra mim de igual forma percebi o campeão do passado com um novo formato pra encarar agora seus desafios, visto que uma nova disputa de cinturão seja uma improbabilidade e ele esteja ali, por que em seu peito ainda arde o coração de um lutador.

Vi um ex-campeão concentrado em sua tarefa de vencer um oponente mais jovem e mais forte, vi um ex-campeão mesmo assim ousado ao se permitir ser golpeado dentro do clinch e absorvendo bombas de todos os lados, vi um ex-campeão que ousou com joelhadas voadoras, vi um ex-campeão que bailou com o jogo da capoeira, vi um ex-campeão desabar em dor, satisfação, alegria e choro… Choro de felicidade e alívio por ter vencido e principalmente por voltar a vencer.

Parabéns Anderson, continue sua caminhada até a inevitável aposentadoria e agora sendo nosso campeão moral, conquistando-nos com combates carregados de emoção como este. Vida longa a lenda…

Foto: Renato Nogueira/MMA4Ever

Foto: Renato Nogueira/MMA4Ever

Foto: Renato Nogueira/MMA4Ever

Foto: Renato Nogueira/MMA4Ever

Categorias
MMA

Relacionados