Rodrigo Caiçara representa o projeto social de Alex MangueBoy na região metropolitana de Curitiba - Divulgação

Conheça Rodrigo Caiçara, o estoquista de supermercado que estreou com vitória no Imortal FC 7

O jovem de apenas 20 anos Rodrigo Alves pedala 28 Km por dia. “Caiçara”, como é conhecido, não é ciclista, é atleta de MMA e a bicicleta é seu meio de transporte para o trabalho de estoquista de uma rede de supermercado e para ir para o treino. Representante da equipe MangueBoy em Colombo, região metropolitana de Curitiba, estreou no MMA profissional no último dia 11 de novembro, na sétima edição do Imortal FC e fez uma das melhores lutas da noite, vencendo na decisão unânime o atleta Onofre Felipe de Oliveira, após vários revezes durante a luta, chegando a ser quase apagado em uma guilhotina.

Filho de pedreiro e de uma faxineira, Rodrigo Caiçara treina com o campeão mundial de Muay Thai Emerson “Bruce Lee” Olimpio, Edmundo Coleto, Alex “MangueBoy” e seus companheiros de treinamento são Leandro “Light”, Valker, Felipe Orfeu e Eduardo “Big Head”.

Foram 11 lutas amadoras, sendo sete vitórias e quatro derrotas no cartel para enfim ingressar com vitória no profissional:

“Foi um sonho realizado. Sempre quis estrear em um evento desse porte, do tamanho do Imortal FC. A torcida foi maravilhosa e vibrante. Depois que escapei de uma guilhotina encaixada, senti-me mais confiante e fui pra cima. Ter os braços levantados ao final do combate foi uma sensação inexplicável, a melhor sensação do mundo”, comenta Caiçara.

Mas Rodrigo Caiçara, há cinco anos atrás, nem sabia o que era luta. Seu sonho era ingressar no Exército, mas não passou no teste e acabou em um projeto social de sua região. Gostou tanto que não saiu mais. Em 2016, participou de um evento do seu primeiro professor, onde protagonizou uma espécie de “Davi vs. Golias”, conforme conta o atleta:

“Ano passado participei de um evento onde misturava lutas e rodeio. De um lado, homens caçavam touros, do outro havia lutas de MMA. Enfrentei um cara de 90 Kg que era acostumado a derrubar touro. Finalizei com uma guilhotina e a galera foi ao delírio”.

Para o head-coach Alex MangueBoy, seu pupilo é o sonho de todo treinador, e comenta a garra durante o camp e no combate:

“O Caiçara pegou uma gripe forte durante na fase final do treinamento que por pouco não tivemos que cancelar a participação dele nesse card. Mas ele é um lutador que todo professor gostaria de ter. Muito disciplinado, não falta os treinos, na segunda-feira pós Imortal ele já estava na academia treinando. Pra ser campeão você precisa saber o que o que é sofrimento e não tem cara mais sofrido do que o Caiçara. E ele estava com a cabeça muito boa, e isso faz toda a diferença na hora da luta”.

Categorias
MMA




Relacionados