Amanda Nunes cinturão mantido
Amanda Nunes conversou com a imprensa após manter o cinturão - Foto: Thiago Duval

Amanda Nunes critica equipe de Raquel Pennington

Após a vitória e a manutenção do cinturão peso-galo (até 61kg), Amanda Nunes era só alegria durante a coletiva de imprensa do UFC 224, que foi realizado no último sábado (12) no Rio de Janeiro. A única coisa que não agradou a “Leoa” foi saber que o treinador de Raquel Pennington mandou a desafiante continuar na luta, mesmo com a americana alegando que não tinha mais condições de permanecer na luta.

Durante a coletiva de imprensa, Amanda Nunes chegou carregada nas costas de seu treinador, Conan Silveira. A brasileira falou sobre a luta e disse que ficou sabendo da situação de Raquel Pennington somente após a luta e criticou a atitude da equipe de sua adversária. A baiana deixou claro que esta atitude jamais aconteceria em seu time.

” É triste. A Nina (Ansaroff) me falou nos bastidores, mas eu nem sabia. É triste porque poderia evitar. Ela agora foi pro hospital, o nariz deve estar com lesão grave, então estou triste. Pedi para a Nina mandar uma mensagem, e se ela precisar de alguma coisa estou aqui. Se ela não estava em condições de lutar, o treinador tinha que jogar a toalha. Se fosse comigo, meu técnico não deixaria eu passar por essa situação. É triste. Todo mundo deve estar falando muito mal dele nas redes sociais. Agora ela tem que realmente se cercar de pessoas que querem o seu bem, para ela evoluir nas próximas lutas. Infelizmente, hoje ele falhou. É muito triste, era pra ele tê-la escutado naquele momento. É importante essa amizade com o treinador, ele entender o atleta. Por isso minha sintonia com meus treinadores está dando muito certo. Espero que, neste momento e daqui pra frente, eu possa estar com pessoas que realmente entendam, que estejam com ela”, disse.

A brasileira também falou sobre os momentos em que teve que aproveitar para explorar o fato de Raquel Pennington estar lesionada para se aproveitar da condição da adversária.

“Quando comecei a trabalhar a joelhada no clinche, teve uma hora em que realmente pegou no nariz, eu vi e senti que quebrou, porque quando ela olhou pra mim, o nariz já estava jorrando sangue. Aí foi onde comecei a explorar bastante. É triste falar isso, mas é luta, tinha que manter o cinturão, pegar o ponto fraco naquele momento para poder sair vitoriosa. Quando vi, sabia que tinha quebrado. Ali já virou o meu ponto. E também o pontapé na panturrilha foi uma coisa que eu explorei bastante. Mas vi que ela estava bem machucada. Estava com meus córneres, quando acabava, olhava, sabia que ela já estava acabada, mas luta é luta. Tem atletas que voltam no último round, tem que continuar no foco, e foi isso que eu fiz. Mas foi quando dei a última cotovelada que senti mesmo que acabou. Ela me deu as costas, e eu finalizei ali”, disse.

Amanda Nunes carregada

Amanda Nunes é carregada pelo seu técnico, Conan Silveira no começo e no fim da coletiva – Foto: Thiago Duval

Amanda Nunes também comentou como foi enfrentar uma amiga na disputa de cinturão.

“Nem sei explicar. É um trabalho mental mesmo que eu tenho que me ajudou bastante. Sabe quando você não consegue explicar aos professores? Só vivendo? Tive que ter uma sintonia muito grande comigo mesma para passar por tudo isso. Foi uma luta difícil realmente, a amizade que temos pesou um pouco pra mim. Fiquei triste em olhar a Rocky no final da luta e ver o rosto dela daquele jeito, mas é o que é, não é. Tinha que fazer o que era pra ser feito e sair com o cinturão, que era o mais importante. Espero que ela fique bem logo. Queria tomar uma cerveja com ela já, mas fica pra próxima. Vou cuidar do meu pé agora e daqui a pouco estou de volta 100%”, disse a brasileira que revelou ter sofrido uma lesão no pé.

“Eu já tinha essa lesão desde a última luta. Pensei que estava bem, mas machuquei de novo no mesmo lugar. Agora vou dar uma atenção mais séria porque está me atrapalhando um pouquinho. Vou procurar um especialista, tudo direitinho, pra ficar bem na próxima. Chutei tanto que nem lembro se foi no primeiro round, mas acho que não, acho que foi no decorrer da luta”, disse.

Amanda Nunes fez a sua terceira defesa de cinturão e foi a primeira brasileira a colocar seu título em jogo no Brasil. A baiana falou sobre a sensação de defender o cinturão em casa, que classificou como sonho.

“Foi surreal. Já começou ontem. Estou repetindo isso, porque a pesagem foi perfeita. Saí da pesagem com a confiança lá em cima. Já estava bem, quando na pesagem foi assim… Surreal… Ser a primeira a defender o cinturão no Brasil depois de tudo que aconteceu na minha vida. Primeira brasileira a assinar com o UFC, a lutar no Brasil, a estrear no Brasil, e, agora, a defender um cinturão. Estou coletando histórias e isso me deixa muito feliz. É gratificanete que todo meu trabalho esteja sendo recompensado. Estou vivendo o meu sonho”, disse.

Amanda Nunes domina

Amanda Nunes domina a luta inteira – Foto: Getty Images

Mal confirmou a manutenção do cinturão, Amanda Nunes já foi questionada de quem seria sua próxima adversária e a baiana apontou a compatriota Ketlen Vieira.

“A Ketlen Vieira com certeza é a próxima. Vou estar muito bem preparada, mas agora, como falei, vou dar um tempinho, ficar com a família, aproveitar, acho que eu mereço (risos). Já tem muito tempo que não fico, mas o que o UFC falar, vou discutir com meus treinadores, ver o que é melhor, tanto nos galos, como nos penas, estou bem confortável. Mas como falei, tenho que voltar, sentar e ver o que realmente é melhor pra minha carreira. Daí eu tenho novidades pra vocês em breve”, disse que por enquanto só quer saber de estar com a família.

“Depois dessa vitória, quero voltar a ver minha família, dar um tempo, já que tem tempo que não passo com a minha família. A minha avó está doente, quero ficar bem próxima agora. Esse é o momento em que posso tirar um tempo para ficar pertinho. Fiquei tantos anos sem estar perto por causa de um sonho, e agora, conquistado, posso dar esse tempo. Vou passar tempo com a família, depois volto pros EUA, sento com meus treinadores, porque não decido nada sozinha. Não posso dar uma posição agora. Eu e eles trabalhamos muito juntos e por isso dá muito certo essa união. Vamos conversar com meu empresário, Dan Lambert, e ver o que é melhor daqui pra frente. Seria luta interessante? Com certeza poderia acontecer antes, não sei o que aconteceu. Sou campeã do meu peso, a categoria está andando agora, e estou muito ansiosa pro meu futuro”, disse.

Categorias
MMA

Relacionados