Rafael Carino
Rafael Carino entra em ação este final de semana em busca de sua primeira medalha de ouro em 2018 – Divulgação

Rafael Carino volta aos tatames de olho no cinturão do Abu Dhabi Legends

Treinar e ensinar, uma dobradinha que faz parte da rotina de Rafael Carino desde que ele se tornou faixa-preta de Jiu-Jitsu. Mas isso não significa que seja fácil para o veterano de 44 anos. Além de orientar os seus alunos, Carino também precisa estar atento no que precisa aperfeiçoar em seu jogo para fazer bonito nos tatames. E esse final de semana, Carino terá mais uma vez a dupla missão durante o Troféu Brasil, a terceira etapa do Circuito Brasil Open Mineirinho, que acontece no Clube Municipal, no Rio de Janeiro.

“Ensinar e competir é uma coisa que eu faço há mais de 20 anos, mas isso não significa que fica mais fácil com o tempo. Treinar com os alunos que irão lutar no mesmo campeonato que você tem o seu lado bom, porque você participa do treinamento. Mas tem também o lado difícil porque, além de ter que orientá-los, também tenho que focar nos pontos onde eu preciso melhorar. Mas, no final, é muito satisfatório ver todos os seus alunos treinando e indo junto com você para o campeonato”, disse Carino.

A expectativa do faixa-preta da Nova União é sair com a medalha de ouro. Mas o grande objetivo de Carino nessas competições é se manter ativo enquanto aguarda a data para disputar o título dos pesados do Abu Dhabi Legends.

“A minha maior meta é disputar o cinturão do Legends contra o Márcio Pé-de-Pano. Foi uma coisa que eu conquistei quando venci o Carlão Barreto em novembro do ano passado no Grand Slam do Rio de Janeiro. Estou apenas esperando a Federação de Abu Dhabi me passar a data da luta pelo título. Então, essas competições que vou participar me ajudam na preparação, tanto físico quanto mental, para estar apto a fazer uma grande luta pelo cinturão do Legends”, encerrou Carino.

Categorias
Jiu-Jitsu

Relacionados

Pin It on Pinterest

Share This